FCET PROCURA FINANCIAMENTO PARA MULHERES NA CIÊNCIA

FCET PROCURA FINANCIAMENTO PARA MULHERES NA CIÊNCIA

A Faculdade de Ciências Exatas e Tecnológicas (FCET) da Universidade Púnguè procura financiamento junto de parceiros para fortalecer a frequência da rapariga aos cursos de Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática (CTEM).

A aposta surge depois que se constatou que poucas mulheres frequentam aqueles cursos, comparativamente aos homens. Aliás, dos estudantes que frequentam os cursos da FCET na UniPúnguè, apenas 24% são mulheres.

Para reverter o cenário, são necessários 100 mil meticais por ano, dinheiro a aplicar em sessões de explicação para exames de admissão, portas abertas e palestras nas escolas, parte delas iniciadas no ano passado.

O Director da FCET na UniPúnguè entende que a desigualdade entre homens e mulheres na frequência aos cursos de CTEM “compromete a autonomia das mulheres”.

Dizimalta Miquitaio aponta como vantagens da frequência da rapariga aos cursos de CTEM melhor educação das crianças, melhoria da renda familiar e combate à pobreza.

A nossa fonte falava no segundo seminário de apresentação de resultados dos projectos de investigação, extensão, inovação e desenvolvimento institucional promovido pela Direcção Científica da instituição de ensino superior, sexta-feira, 13, na cidade de Chimoio.

O seminário passou em revista resultados de nove projectos implementados pela Universidade Púnguè, com o apoio de diversos parceiros.

Notícias